Áreas de atuação

Pé diabético

Qualquer infecção nos pés dos pacientes diabéticos tem grande potencial de severidade e são as complicações mais comuns relacionadas ao diabetes mellitus. As infecções podem variar desde uma simples micose nas unhas até infecções graves e profundas envolvendo os ossos, podendo levar a amputação dos membros inferiores.

Os pacientes diabéticos são particularmente acometidos por infecções nos pés devido a neuropatia periférica (doença que acomete os nervos dos membros inferiores), que ocorre em 30 a 50% dos pacientes diabéticos. Os pacientes perdem das sensações de temperatura e dor e, portanto, ficam suscetíveis a traumas nos pés. Além disso, a lesão dos nervos podem resultar em deformidades dos pés, o que leva a formação de calosidades e úlceras. Associado a disfunção dos glóbulos brancos do sangue e a insuficiência vascular, as infecções progridem rapidamente e acometem tecidos profundos.

A prevenção e o tratamento precoce se tornam essenciais para evitar procedimentos de amputação. O             tratamento envolve uso de antibióticos, drenagem, retirada de tecidos infeccionados, curativos e controle da glicemia. A prevenção envolve proteção dos pés com calçados adequados, hidratação dos pés e pernas, medidas para evitar o aparecimento de micoses (frieiras) e não manipular em excesso em procedimentos de pedicure. O acompanhamento por um cirurgião vascular que forneça as orientações e faça o diagnóstico e tratamento precoces se torna essencial nesta situação.