Áreas de atuação

Doença venosa crônica (Varizes)

Varizes são veias dilatadas e tortuosas localizadas no tecido abaixo da pele e são a manifestação mais comum da doença venosa crônica. As varizes dos membros inferiores são comuns na população em geral, estimando-se ocorrer em até 64% da população.

Existem fatores de risco relacionados ao aparecimento de varizes, como: idade avançada, história familiar positiva, sobrepeso e obesidade, gestação e períodos prolongados em ortostatismo (em pé). Caso a desordem venosa crônica não seja tratada de forma correta, os pacientes podem desenvolver edema (inchaço), pigmentação acastanhada e placas endurecidas na pele e até úlceras nas pernas. Outras complicações potencialmente graves são a hemorragia devido ao rompimento das varizes e o desenvolvimento de trombos dentro das varizes (tromboflebite superficial) e dentro das veias mais profundas (trombose venosa profunda – TVP) com ou sem embolia pulmonar.

Os sintomas relacionados as varizes incluem sensação de peso, queimação, coceira, dores e cãimbras nas pernas. Tais sintomas geralmente pioram com longos períodos de pé ou sentado e melhoram com a elevação dos membros inferiores.

O tratamento das varizes incluem medidas clínicas e comportamentais, como perda de peso, atividade física regular, evitar longos períodos de pé, uso de meias elásticas e medicações que melhoram a circulação venosa (flebotônicos). Em alguns casos, devem ser associados outros tratamentos: não cirúrgicos, como as aplicações (escleroterapia convencional e espuma densa) e o laser e cirúrgicos, como retirada das varizes e safenectomia (convencional ou por radiofrequência/ laser).

Nos últimos anos, o tratamento cirúrgico tem se modernizado e os métodos pouco invasivos têm sido cada vez mais utilizados, como a espuma densa e os métodos endovasculares (radiofrequência e laser), com um índice de satisfação alto, já que têm índices de complicações menores, provocam menos dor e proporcionam uma recuperação acelerada e rápido retorno as atividades normais.